O Meu Útero

Hoje assinala-se o dia internacional da saúde menstrual

Hoje assinala-se o dia internacional da saúde menstrual.

A propósito disso, queria recordar-vos algumas coisas importantes: há quem não tenha forma de obter produtos de recolha menstrual. Um pouco por todo o mundo, e em Portugal também.

Há quem não perceba o que é a menstruação, nem o ciclo menstrual, nem os riscos do tampão ou do copo menstrual.

Estamos a falar da nossa vagina, do nosso sangue e, enfim, da nossa saúde! Mas não sabemos o que dizemos porque não nos ensinam devidamente.

Na escola, na adolescência, falam-nos do ciclo, de engravidar, das infecções sexualmente transmissíveis. Esquecem-se de dizer que dores menstruais não são normais, que o ciclo não dura necessariamente 28 dias, que sintomas de TPM são sinal de desregulação hormonal que pode ser tratada. Na televisão, o período é representado a azul e o que se pretende é que pareça que ele não existe. No trabalho, pedimos um tampão a uma amiga com a maior discrição possível e algum rubor na face.

A medicina olha o nosso corpo como uma versão do masculino, à excepção do sistema reprodutor (o que hoje sabe-se ser equivocado, recomendo por exemplo esta leve leitura para aprofundarem conhecimentos quanto a este tema); quando entramos nas urgências de um hospital, é muito mais provável que procurem um motivo psicológico para as nossas queixas, ou que não as considerem realmente legítimas, do que fariam com um homem.

Todos estes pequenos detalhes já não têm razão de ser em meados de 2020, só trazem desvantagens e reforçam uma subjugação do sexo feminino.

Hoje serão apresentadas em parlamento duas propostas: uma visa disponibilizar produtos de recolha menstrual gratuitos nas escolas e em centros de saúde; a outra pretende maior apoio e intervenção do Estado quanto à realização de exames, quanto aos tratamentos e quanto à consciencialização para a endometriose.

As regras do jogo estão a mudar, estamos a aperceber-nos de que já não somos meros peões num tabuleiro. As construções culturais que nos prejudicam só mudam se o nosso pensamento mudar e se isso se reflectir nas nossas acções, por mais mínimas que sejam. Já chega de calar e comer.

Hoje e sempre, saúde menstrual para toda a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Segue-me nas redes sociais

Instagram
Facebook
Subscrever
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Acompanha o meu útero e mantém-te a par de tudo! ❤

%d bloggers like this: