O Meu Útero

A melatonina no tratamento dos sintomas da endometriose

[O meu útero é um projecto que me dá enorme prazer desenvolver e que não me gera qualquer tipo de lucro. Toda a informação que aqui encontrares é 100% transparente. Para além deste projecto, tenho um trabalho a tempo inteiro e (tento também ter) uma vida social. Se acreditas neste projecto e se quiseres demonstrar apoio ao meu útero, convido-te a pagares-me um café. Falo mais sobre isto aqui.]

Quando um médico diagnostica umx paciente com endometriose, a terapêutica sugerida é geralmente limitada e, muitas vezes, não é do agrado dx paciente (se acham estranho que use x em vez de a, saibam que a endometriose também afecta pessoas trans, explico tudo aqui).

É verdade que é ainda uma doença pouco compreendida, devido à sua complexidade.

Mas, visto que não há cura (a não ser a remoção cirúrgica eficaz dos focos), tudo o que possa contribuir favoravelmente para alívio dos sintomas, e desde que não seja prejudicial à saúde, é bem-vindo.

Ler mais: Porque é que os tratamentos para a endometriose falham

Quando se tem endometriose, há várias alterações a fazer-se ao estilo de vida que podem trazer alívio e que podem ser complementadas a outras terapêuticas que se façam.

A melatonina tem sido cada vez mais estudada como complemento para tratar os sintomas da endometriose e, ainda assim, muitos profissionais de saúde, mesmo que especializados na doença, desconhecem os seus benefícios.

Hoje venho falar-vos deste poderoso suplemento e quem sabe mudar a vossa vida.

 

A minha experiência

A primeira vez que ouvi falar de melatonina foi no consultório do meu osteopata/fisioterapeuta, alguns meses antes de descobrir que tinha endometriose. Ele disse-me que havia estudos sobre o efeito positivo da toma de melatonina nas dores menstruais de mulheres com endometriose.

Mas eu não sei se tenho endometriose.

Mas tens cólicas menstruais, por isso pode ajudar.

Não precisei de mais justificações. Comecei a tomar suplementos de melatonina e, num intervalo de um ou dois meses, notei um alívio imenso nas minhas insuportáveis dores.

Meses mais tarde, após ter o diagnóstico, comentei com o meu endocrinologista que tomava melatonina todas as noites antes de dormir. Perguntou-me se tinha dificuldade em adormecer.

Não, mas há já vários estudos sobre a sua influência positiva nos sintomas da endometriose, respondi eu. Há algum problema em tomar?, perguntei.

Respondeu-me que não. Que, se me sentia bem, podia continuar a tomar.

O que é a melatonina?

A melatonina é uma hormona que nós produzimos principalmente no cérebro, a partir da nossa glândula pineal (sendo também produzida pela retina e pelos intestinos¹) e tem um papel muito importante na regulação do nosso ciclo circadiano, trazendo-nos sono quando começa a escurecer.

É por isso muitas vezes referida como a hormona do sono.

A nossa produção de melatonina é inibida pela exposição às luzes azuis dos gadgets o que, hoje em dia, é cada vez mais comum.

A melatonina é uma poderosa arma contra os radicais livres e um antioxidante de largo expectro, tendo um impacto positivo na terapêutica de doenças como Alzheimer, diabetes e até infeções virais.

Para além disso, melhora a qualidade dos oócitos e aumenta as taxas de fertilização².

 

Efeitos da suplementação da melatonina na endometriose

Infelizmente, a suplementação de melatonina ainda é completamente desconsiderada pelos médicos que tratam a endometriose.

Mas, por todas as pesquisas que fiz, a toma de suplementos de melatonina não acarreta riscos para a saúde e tem consequências positivas para a endometriose.

Um artigo científico de 2009² analisou vários estudos diferentes, demonstrando as conclusões a que se chegou relativamente ao impacto da toma de melatonina na endometriose, e não só: na síndrome dos ovários poliquísticos, na ovulação, na qualidade dos oócitos, na falha prematura dos ovários e na função luteal.

A partir de testes feitos em ratos, conclui-se que a melatonina contribui para fazer regredir e atrofiar as aderências da endometriose.

Outro estudo³ foi realizado num grupo de 40 mulheres com dores menstruais causadas por endometriose, por oito semanas:

  • 20 mulheres tomaram 10mg de melatonina por dia, por via oral
  • 20 mulheres tomaram placebo (sem o saberem, é claro) por via oral

Eis as conclusões:

  • A média da redução de dor nas mulheres que tomavam melatonina foi de 39,3%.
  • O grupo que tomou placebo demonstrou 80% maior probabilidade de tomar analgésicos para aliviar as dores, quando comparado com o grupo que tomou melatonina.

Efeito da melatonina na redução das dores

Nestes gráficos, relativos ao estudo, constam os efeitos da toma de melatonina no alívio das dores relacionadas com endometriose (a tracejado reportado por quem tomava placebo; em linha contínua reportado por quem tomava melatonina) e, no gráfico de baixo, nas cólicas menstruais.

Assim sendo, discutam com os vossos médicos a possibilidade de incluírem este suplemento no vosso tratamento – não sou médica e desconheço se poderá existir algum impedimento caso estejam a tomar outros medicamentos.


 

¹ Peuhkuri, K., Sihvola, N., & Korpela, R. (2012). Dietary factors and fluctuating levels of melatonin. Food & nutrition research56(1), 17252.

² Tamura, H., Nakamura, Y., Korkmaz, A., Manchester, L. C., Tan, D. X., Sugino, N., & Reiter, R. J. (2009). Melatonin and the ovary: physiological and pathophysiological implications. Fertility and sterility, 92(1), 328-343.

³ Schwertner, A., Dos Santos, C. C. C., Costa, G. D., Deitos, A., de Souza, A., de Souza, I. C. C., … & Caumo, W. (2013). Efficacy of melatonin in the treatment of endometriosis: a phase II, randomized, double-blind, placebo-controlled trial. PAIN®154(6), 874-881.

4 comments

  1. Olá, Catarina!
    Conheço sim o grupo Endometriose sem Censura, inclusive eu adoro a Ariane, e vi que vc se tornou uma das moderadoras. Bom, minha vida, desde meu primeiro depoimento aqui mudou um pouco. Eu deixei o Pietra, porque não suportei as fortes dores de cabeça. Fiquei com medo de continuar o uso, pois há um tempinho descobri ter um problema na coagulação do sangue (já tenho varizes tbm). Eu já tentei três, mas não consigo mesmo. Passei por um médico incrível que me passou alguns medicamentos naturais, inclusive propostos lá no grupo, e tbm Melatonina, proposto por vc. Ele passou também progesterona bioidentica, e eu inseri o Pinus Pinaster e Resveratrol por contra própria nesse pacote, e tbm Unha de Gato e Uxi Amarelo. Faz três semanas que iniciei o tratamento, e na última terça menstruei, mas não passei por Emergência de hospital, porque as dores que senti, e ainda sinto, estão suportáveis. Isso para mim já é um milagre! Tenho dores crônicas, e tenho dúvida se o tratamento natural pode apenas amenizar ou se pode eliminar por completo. Ouvi falar sobre memória da dor, sobre o cérebro memorizar a dor. Sabe me dizer sobre isso?

    No mais, vou ler os seus artigos que ainda não li. Como já disse, adoro seu trabalho!

    Quanto a engravidar, tenho posto o que disse em minha mente todos os dias, mantendo a esperança, em Deus, que serei mãe!

    Obrigada por suas palavras de apoio e carinho!

    Um beijo grande!

  2. Olá, Catarina!
    Sou Mariana, brasileira e portadora de Endometriose. Li todos os seus artigos, e posso dizer que adorei seu trabalho e que sou grata a você pela contribuição com seus conhecimentos. Descobri ser portadora da doença ao começar a ter dores menstruais (e outras) diariamente. Minha história de dores parece com a sua… Minha rotina de dor diária começou há sete meses, com uma crise que mais parecia problema renal. Assim, passei por médicos, recebi diagnóstico errado (fui diagnosticada com Doença Inflamatória Pélvica equivocadamente), até ser consultada por um especialista. Somente com esse profissional que fiz exames específicos, que diagnosticaram Endometriose Profunda, grau 4. Tenho foco no ovário esquerdo, atrás do útero, nos ligamentos uterossacros, na gordura do Intestino e parede da bexiga (com um nervo próximo a ela também comprometido, o nervo hipogastrico). Eu já iniciei e também parei tratamentos, uns por não suportar de dor de cabeça (com o uso de Anticoncepcional) e outros naturais por condições financeiras reduzidas. Bom, me rendi ao Pietra nessa quarta, quando menstruei, que no Brasil alguns médicos dizem ser específico para a doença, permaneço com dieta (dou umas vaciladas às vezes rsrs), estou lutando para voltar às caminhadas (parei por muitos dias devido a uma piora nas dores e frio por aqui), e passarei por mais médicos que aceitam meu plano de saúde que possam me ajudar com indicações de tratamento natural. Eu não acredito na cura pelo uso de Anticoncepcional, mas, no momento, o que mais desejo é um alívio nesses sintomas tão crueis que sinto diariamente, que, durante o período menstrual, se tornam ainda piores. Na quarta, ao menstruar, passei, mais uma vez, pela emergência. Usei duas injeções e mais medicamento pela veia, as dores ficaram muito leves, mas a sensação de ter dor após ter usado tantos medicamentos é muito horrível.
    Enfim, Catarina, mais, uma vez, parabéns pelo trabalho e obrigada pela disposição em ajudar!
    Tenho muita fé em Deus em que serei curada, serei mãe e desfrutarei de uma vida sexual saudável, sem dores, com meu marido (somos casados há 1 ano e 5 meses, e não fazíamos sexo antes do casamento).
    Desejo a você muita saúde, sucesso e felicidade apesar dos pesares. Deus a abençoe!!!

    1. Olá querida Mariana. Obrigada por partilhares a tua experiência. Estava a ler o teu testemunho e a questionar-me se conheces o grupo Endometriose Sem Censura. Consegues obter lá muitas indicações e recomendações de tratamento de pessoas que têm sintomas semelhantes. Eu entendo o teu dilema entre tratamento natural e tratamento que tenha eficácia imediata.

      A verdade é que às vezes estamos já tão inflamadxs que é preciso actuar no momento de desespero. Nessas situações, os medicamentos são miraculosos. Agora, numa perspectiva a longo prazo o tratamento chamado de “natural” é a opção mais benéfica e com um grande impacto na saúde.

      Espero que as dicas que eu vá partilhando ajudem. Vamos encontrando o nosso equilíbrio. E quanto a seres mãe, não te deixes assustar! Endometriose não significa infertilidade!

      Para além disso, confia que se cuidares da saúde e do emocional esse momento chegará assim que começares a tentar.

      Obrigada pelas palavras de apoio a este trabalho. Beijo grande, as melhoras e força!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Segue-me nas redes sociais

Instagram
Facebook
Subscrever
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Acompanha o meu útero e mantém-te a par de tudo! ❤

%d bloggers like this: