O Meu Útero Blog

12 dicas para tomares conta do teu pipi

Um destes dias revi uma amiga que já não via há muito tempo e que acabou por me confidenciar que anda com uma infecção urinária há demasiado tempo. Obviamente, comecei por sugerir-lhe várias alterações à dieta e ao estilo de vida e, a certa altura, a conversa começou a tocar o tema da higiene íntima.

“Para lavares o pipi, usa só água”.

Ela ficou espantada. Só água? Como assim, só água? E o cheiro?

Fiquei, por uns segundos, sem saber o que dizer, porque achava que não estava a dar uma novidade. Esta dica é para mim tão óbvia há já tanto tempo, que achei que era um dado adquirido para toda a gente.

É certo que muita gente não cumpre com isso, mas realmente pensei que fosse aquele bê-á-bá dos médicos ginecologistas, sempre:

“Não é necessário lavar a sua vulva com nada para além de água.”

Afinal se calhar não.

A vagina tem o seu próprio mecanismo de limpeza, disse-lhe eu. Gel de banho e mesmo produtos de limpeza podem ser muito agressivos para a nossa flora vaginal.

“Passa sabonete na virilha”, recomendei, “mas deixa estar o pipi em paz”.

“Dorme sem roupa interior”, acrescentei, ao que ela reagiu com ainda maior perplexidade.

Entretanto, uma lampadazinha acendeu-se no meu cocuruto: os nossos pipis têm de ser bem tratado e talvez faça sentido abordar este tema no blog.

Como não sou nenhuma guru dos pipis, pedi contributos no grupo de facebook do meu útero para o artigo ficar mais completo.

 

Como tomares conta do teu pipi

Aqui estão algumas dicas que podes começar a considerar levar a cabo, se tiveres um pipi e se gostares dele.

1. Lava só com água

Muitos médicos deixam esta recomendação. No entanto, há mulheres que simplesmente não conseguem desabituar-se de usar o seu sabonete e não sofrem consequências disso.

O que importa é que se saiba que o pipi não é sujo, que lavar só com água basta e que não apresenta qualquer risco para a nossa saúde.

Se por acaso usares algum sabonete, não o uses no canal vaginal e presta atenção aos ingredientes que o compõem. A mucosa vaginal absorve tudo o que nela aplicas (já abordei este tema relativamente aos perigos de se usar tampão), por isso mais vale optares por algo neutro e o mais natural possível.

 

2. Usa roupa interior de algodão

A roupa interior mais inócua para o pipi é a de algodão, para que o pipi respire livremente. Mas, por exemplo, eu uso calcinhas sintéticas e não me causam qualquer apreensão! Se notas alguma irritação ou corrimento estranho, não subestimes este importante ponto. Às vezes o pipi é capaz de resolver a situação sozinho, tens só de lhe dar uma ajudinha.

 

3. Dorme sem roupa interior

Eu sei que é difícil para algumas pessoas fazer esta mudança. Por sorte, sempre fui assim habituada. Dormir sem roupa interior é benéfico para o pipi e para o corpo no geral. Aliás, o ideal mesmo é dormir-se em nu integral (se bem que no inverno é mais complicado) para que o sangue flua à vontade e a pele respire como deve ser.

 

4. Cheira, cheira, cheira

É um hábito que tenho desde que me lembro – e não é só com o meu pipi, é com tudo. Adoro cheirar tudo. É quase instintivo, eu nem noto, e às vezes até pode passar por má-educação! Não, eu não tenho medo que a comida que me ofereces esteja estragada. Eu simplesmente cheiro tudo.

E como cheiro tudo, também cheiro as minhas calcinhas sempre que me dispo. Às vezes até na casa-de-banho, quando vou fazer xixi.

Pequenas alterações na nossa flora vaginal podem reflectir-se subtilmente no cheiro e podem ser um alerta para um eventual desequilíbrio que pode conduzir a uma infecção.

Só nos damos conta dessas subtis alterações se já conhecermos bem o nosso odor natural e é sempre bom estarmos em cima do acontecimento, para prevenir dores de cabeça maiores.

5. Escolhe bem os lubrificantes

Na hora das cambalhotas noturnas e das brincadeiras marotas, um bom lubrificante é um presente dos deuses. No entanto, tem cuidado com o que andas a pôr na pepeca!

Opta por lubrificantes à base de água e com ingredientes naturais. Mesmo que o lubrificante cheio de químicos que tens usado não te traga inconvenientes, é sempre preferível escolheres algo que não tenha disruptores endócrinos e quinhentas porcarias danosas para o organismo.

Podes experimentar também usar óleo de côco, por exemplo, mas cuidado porque não pode ser usado com preservativo! Torna-o poroso, comprometendo por completo a sua função de te proteger de doenças sexualmente transmissíveis ou de uma gravidez.

6. Não uses roupa muito apertada

Uma vez a minha mãe ofereceu-me um body de licra muito giro. Usei-o durante um dia inteiro toda entusiasmada, mas senti que me apertava muito o pipi. Era tão desconfortável, que o desconforto tornou-se comichão e a comichão tornou-se candidíase.

Moral da história: cuidado com roupas muito apertadas.

 

7. Não uses pensinhos diários

Muitas mulheres usam pensinhos diários por causa do corrimento. Eu mesma comecei a usar, há muitos anos, quando comecei a sentir corrimento pela primeira vez.

Este corrimento é perfeitamente normal e inofensivo, ele existe para nos limpar por dentro, mas uma vez que nos habituamos aos pensinhos, fica difícil largar.

Ainda por cima os pensinhos diários não ajudam o pipi a respirar, o que torna a zona mais propícia ao desenvolvimento de infecções.

 

8. Não uses o papel higiénico de trás para a frente

O pipi e o ânus estão relativamente próximos, mas cabe-nos a nós sermos espertas e não misturarmos as coisas. Depois do xixi e do cocó, limpa-te desde a vagina até ao ânus, e nunca ao contrário.

 

9. Cuidado com as marotices

Este ponto decorre do anterior. Seja na sanita ou em outras necessidades fisiológicas tratadas na cama a dois (ou a três, ou a quatro, ou a…), às vezes podemos baralhar um bocadinho os fluidos e instalar o caos no nosso pipi. A regra é simples: o que toca no ânus, não toca no pipi sem ser antes lavado.

 

10. Faz xixi depois do sexo

Regra de ouro do sexo: urinar sempre após, mesmo que não haja penetração. Quando fazemos sexo, os fluídos vaginais andam por todo o lado, inclusive à porta da uretra. Se não fizermos xixi, aumentamos as chances de eles subirem por ali acima e não é suposto, porque podem causar infecções urinárias.

 

11. Evita fazer a depilação total

Esta dica não tem nada a ver com estética e aqui, mais uma vez, as experiências variam. Só que é um facto que os nossos pêlos púbicos existem para proteger o nosso pipi (o corpo humano é muito sábio).

Removê-los completamente pode aumentar as chances de contrair infecções vaginais – além de que podes acabar com um pêlo encravado bem chato e doloroso numa zona tão sensível como são os grandes lábios.

 

12. Corta no açúcar

Esta foi sugestão de uma endo-amiga no grupo do facebook, e faz todo o sentido. O açúcar é altamente inflamatório. À partida, deverias evitá-lo ao máximo sempre, mesmo que estejas de perfeita saúde.

Mas se por acaso uma candidíase der o ar de sua graça, elimina este maldito da tua dieta e verás a diferença que faz.


 

Achas que falta alguma dica? Manda-me mensagem ou comenta, para eu acrescentar à lista!

Se gostaste do que leste, encontra-me no facebook e no instagram e junta-te ao grupo do meu útero.

 

Ou então, fica com estes artigos:

O meu problema com a pílula

Dores menstruais NÃO são normais

No poo: porque é que lavo o cabelo só com água

Endometriose: o que é e como se diagnostica?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Achaste este artigo útil? Então, junta-te a mim e partilha a informação ❤

%d bloggers like this: